Pesquisadores revelam que 10% das espécies de árvores da Serra de Paranapiacaba estão em risco de extinção

mata atl

Apesar da vegetação de Mata Atlântica do Parque Estadual Nascentes do Paranapanema estar em excelente estado de conservação, 10% de suas espécies de árvores estão ameaçadas de extinção. Cientistas do Instituto de Pesquisas Ambientais do Estado de São Paulo (antigo Instituto Florestal) chegaram a esse diagnóstico ao catalogar 204 espécies vegetais predominantemente arbóreo-arbustivas da Serra de Paranapiacaba, em Capão Bonito, na região do Alto Vale, interior de São Paulo. Os resultados dessa catalogação estão descritos em artigo publicado em 30 de junho na “Revista do Instituto Florestal”.

O estudo foi realizado de janeiro a abril de 2012 — ano em que o parque, que tem mais de 22 mil hectares, foi criado para garantir a preservação da região. As análises das espécies de árvores coletadas foram feitas no Herbário Dom Bento José Pickel. Das 21 espécies ameaçadas de extinção, em nível estadual, nacional ou global, destaca-se o carvalho brasileiro Euplassa cantareirae, espécie classificada como extinta para São Paulo e em perigo para o Brasil. “A quantidade de espécies ameaçadas de extinção para o estado de São Paulo, Brasil ou mundialmente mostra a qualidade do ambiente e da floresta presente no parque”, aponta Frederico Arzolla, um dos autores do artigo. A Mata Atlântica é um dos biomas mais ameaçados do planeta, restando apenas 12,4% da cobertura vegetal original no país, aponta a pesquisa.

Na área do Parque Estadual Nascentes do Paranapanema, quase 80% do território é formado por Floresta Ombrófila Densa, que ocorre principalmente na região litorânea paulista. “Nessa formação as espécies são perenifólias, pois há água em abundância para as plantas”., afirma Arzolla. Para os pesquisadores, à medida que forem realizados estudos futuros na região, envolvendo outros hábitos de plantas, a flora do parque pode alcançar mais de 600 espécies.

A área também apresenta mais de 1 mil nascentes de rios bem preservadas. Manter a conservação do local ajuda a reduzir o efeito de borda, ou seja, diminui as mudanças que acontecem em áreas de floresta próximas de regiões desmatadas. Além das espécies vegetais, o Parque Estadual Nascentes do Paranapanema é casa de espécies de animais ameaçadas de extinção, como as onças-pintadas.

De acordo com os cientistas, a área do parque se mantém bem conservada porque é de difícil acesso. “Existem várias atividades econômicas nessa região, como pecuária, agricultura e mineração, então foi uma descoberta positiva”, avalia Claudio Moura, também autor do artigo.

O Parque Estadual Nascentes do Paranapanema é aberto à visitação do público, mas é considerado de suma importância para cientistas que pesquisam diversos aspectos da Mata Atlântica e para mitigar efeitos das mudanças climáticas. “Criar unidades de conservação deveria ser uma atividade mais frequente”, opina Moura.

 

Compartilhar:
1282 / 1485

Deixe um comentário

Campos obrigatórios estão marcados.